Arquivo da categoria: Heavy Metal

Ravenous Mob prepara 2018 cheio de novidades e lançamentos. Confira na matéria abaixo:

A banda mineira de Heavy/Thrash, Ravenous Mob, planeja um ano de 2018 repleto de novidades importantes e com vários lançamentos envolvendo a música, merchandising e tour.

O primeiro passo foi dado em 2017, após o lançamento do EP “Unholy Secrets”, as músicas foram disponibilizadas apenas em formato digital e estão disponíveis gratuitamente nas principais plataformas de Streaming do mundo.

 

Já para 2018, o passo tomado foi recrutar de volta o ex-guitarrista e fundador do grupo, Ewerton Melo, o músico além de refazer todas as guitarras do novo álbum, conseguiu equilibrar o peso e a técnica com o outro guitarrista Lucas Lima.

 

O processo de criação, que ficou por pouco tempo parado, já está com sua maior parte finalizado, faltando apenas alguns ajustes e masterização oficial. O grupo também informou que o novo registro irá conter nove faixas e todas com assuntos relevantes sobre temas diversos, porém corriqueiros do dia a dia da sociedade.

Em breve, capa, single, tracklist e vídeo clipe, serão trabalhados de forma intensa pelo grupo. O material do novo álbum, que ainda não teve seu nome revelado, será lançado primeiramente em formato físico e posteriormente digital.

Ravenous Mob é formada por:

Michael Almeida – Vocal

Lucas Lima – Guitarra

Ewerton Melo – Guitarra

Filipe Zimmermann – Bateria

Mais informações:

Facebook: https://www.facebook.com/Ravenous.Mob/

Roadie Metal Press: https://roadie-metal.com/ravenous-mob/

Anúncios

Disaster Cities e Grindhouse: noite de estreias em São Paulo

Bandas do cast da Abraxas tocam nesta sexta, 24, no Estúdio Costella

          Arte: Rafael Panegalli

Apontado como um dos mais requisitados da capital paulista, principalmente entre as bandas do cenário alternativo, o Estúdio Costella recebe nesta sexta-feira, 24, dois nomes da nova geração e que pertencem ao cast da Abraxas: o Disaster Cities, que faz neste evento a sua estreia em palcos, e a Grindhouse, em processo de gravação do primeiro full length. Os shows começam a partir das 20 horas e o ingresso tem preço camarada: R$ 20.

Formada em 2017 no eixo São Paulo-Santa Catarina, aDisaster Cities enfim realiza o primeiro show para tocar os três primeiros singles, “Right Next to you“, “Brave New Heart” e “Death Blues“, lançadas no segundo semestre do ano pela Abraxas nas principais plataformas de streaming, além de outras inéditas. 
Sem fronteiras e sem limitações sonoras, o power trio formado por Matheus Andrighi (guitarra/voz), Rafael Panegalli (baixo/voz) e Ian Bueno (bateria) aproxima o stoner do hard rock, o grunge ao blues, e provarão agora em palco porque devem figurar em listas de fim de ano como uma das grandes sensações do rock nacional. Ouça os dois últimos singles aqui: https://ONErpm.lnk.to/DisasterCities


Grindhouse é a mais nova banda do selo da Abraxas. O experiente quarteto Leandro Carbonato (voz e guitarra), Roger Marx (baixo), Luiz Natel (guitarra) e Gustavo Cardoso (bateria) já abriu para as gringas Red Fang, Mars Red Sky e Atomic Bitchwax e é reconhecido pela sonoridade explosiva e autêntica, combinando elementos de Black Sabbath e Fu Manchu, embalados à aura punk

Nesta sexta, eles tocarão pela primeira vez uma das músicas que estará no debut, em processo de gravação no próprio Estúdio Costella (com supervisão de Gabriel Zander) e previsto para os meses iniciais de 2018. 

SERVIÇO

ABRAXAS APRESENTA DISASTER CITIES E GRINDHOUSE NO ESTÚDIO COSTELLA 

Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/161817121079813/

Data: 24 de novembro de 2017 (sexta-feira)

Horário: 20 horas

Local: Estúdio Costella

Endereço: rua Aimberê, 01258-020, São Paulo/SP

Ingresso: R$ 20

Death Chaos libera novo vídeo clipe com letra inspirada no clássico cult do terror, “O Massacre da Serra Elétrica”

Os músicos da banda Death Chaos acabam de disponibilizar seu novo vídeo clipe oficial, Hammerdown”, uma das faixas exclusivas liberadas que antecedem o lançamento do aguardado álbum “Bring Them To Die” que será lançado oficialmente no início de 2018.

 

Abordando conteúdos relacionados a violência, assassinatos em série e filmes de terror, a banda segue a proposta e na música “Hammerdown” se inspiram diretamente no clássico filme de 1974, “O Massacre da Serra Elétrica“, construindo a cena em que uma das vítimas da família de canibais é colocada sobre uma bacia e assassinada com golpes de martelo.


Assista ao clipe “Hammerdown”:

https://www.youtube.com/watch?v=jyWSYlksCbo&feature=youtu.be

O clipe teve toda sua direção e produção feitas por Karina Schwitzky da “Nekro Produções”, tudo com auxilio e supervisão dos músicos da banda que aparecem na maioria das filmagens executando seus instrumentos no decorrer de todas as cenas gravadas.

 

O novo álbum “Bring Them To Die” será o primeiro full lenght da carreira da banda Death Chaos, o grupo possui um EP intitulado de “Prologue In Death & Chaos” lançado em 2016 que chamou a atenção de público e imprensa pela brutalidade imposta em toda a construção harmônica da banda.


Ainda sem uma data especifica, o novo álbum será lançado em formato físico e digital nas principais plataformas de streaming do mundo, para acompanhar os trabalhos da Death Chaos, basta seguir a banda nos links abaixo:

 

Facebook: https://www.facebook.com/deathchaosmetal/

Roadie Metal Press: https://roadie-metal.com/press/death-chaos/

 

Death Chaos é formada por:

Denir “Deathdealer”: Vocal

Julio Bona: Guitarra

Edson “Mamute”: Baixo

Ueda: Bateria

Fonte: Roadie Metal 

Sunroad: distribuição do álbum “Wings Seven” chega ao Japão 

O maior expoente do Hard Rock no estado de Goiás, até mesmo no Brasil, a veterana Sunroad, acaba de anunciar a distribuição de seu sétimo álbum de estúdio, “Wings Seven” do outro lado do mundo, o Japão.

 

Agora o país asiático terá o material para comercialização, considerados por músicos consagrados como um dos países que mais reverenciam o Metal, os nipônicos agora receberão uma das obras mais bem elogiadas e feitas dentro do estilo Hard Rock/ AOR no ano de 2017 no Brasil. O material será distribuído pela “DiskUnion” que acaba de assinar representação comercial da banda Sunroad em todo território japonês.

 

Escute “Destiny Shadows” faixa de abertura de “Wings Seven”

https://www.youtube.com/watch?v=KW8R98TvvE4

 

Sendo o sétimo álbum de estúdio, Wings Seven, também está disponível para venda no Brasil através do “Musik Studio”, as encomendas nacionais podem ser feitas no link abaixo:

https://www.facebook.com/MusiKstudioandstore/

 

Para aquisição no Japão, basta acessar o link abaixo:

http://diskunion.net/punk/ct/detail/HMHR170418-401

 

O álbum conta com 13 faixas e é considerado o trabalho mais solido e bem produzido da carreira da Sunroad, músicas mais pesadas apresentam uma nova vertente do grupo, tudo sem perder sua identidade, no disco também não irá faltar as baladas que são marcas registradas da banda.

 

Mais informações:

Facebook:https://www.facebook.com/sunroadofficial/

Roadie Metal Press:https://roadie-metal.com/press/4145-2/

Top 5: Judas Priest

#5 – Sad Wings of Destiny (1976)

O segundo álbum dos britânicos nos mostra uma abordagem diferente da apresentada em seu début.

Com uma pegada mais agressiva, veloz e uma técnica melhor ultilizada, esse álbum esboça o que se tornaria o Speed Metal da próxima década.

#4 – Brtish Steel (1980)

Com este trabalho o Judas Priest quebrou as correntes daquela sonoridade Blues progressiva clássica dos anos 70, trazendo um som cru e direto, muito mais rápido e agressivo que seus antecessores.

#3 – Painkiller (1990)

Depois de um álbum mais direcionado ao pop comercial da época e outro muito mal produzido, Painkiller é um verdadeiro resgate.

Evoluindo e adaptando-se ao estilo que ajudaram a criar, a banda atinge seu ponto máximo (técnica, composição, performance) e nos entrega um dos maiores clássicos do gênero.

#2 – Screaming For Vengeance (1982)

Resultado do amadurecimento da banda, sem vacilos, com composições firmes e muita musicalidade. Uma das melhores produções da discografia da banda. A voz de Halford estava perfeita. Possui um peso cristalino e arranjos inspiradíssimos.

#1 – Defenders of The Faith (1984)

É como um British Steel mais denso, de som mais escuro, mas com a mesma energia. A performance de K.K. Downing e Glen Tipton é uma das melhores daquela década. É um álbum do nível de Painkiller, com mudanças apenas de técnica, mas aqui o Judas Priest estava em sua plenitude caminhando com soberania pela estrada que ajudou pavimentar.

 

Pastore: divulgada capa e tracklist de novo álbum Phoenix Rising

A banda Pastore, liderada pelo lendário vocalista Mario Pastore, orgulhosamente apresenta a capa e tracklist de novo álbum de estúdio “Phoenix Rising”, que será lançado primeiramente no Japão pela gravadora Spiritual Beast, dia 18 de Outubro de 2017. No Brasil, o trabalho será lançado independente no mês de Novembro. A capa de “Phoenix Rising” foi desenhada pelo artista Marcelo Berno, que produziu as artes dos trabalhos anteriores do Pastore.


O disco foi produzido, mixado, masterizado e gravado por Márcio Eidt, que também gravou boa parte das guitarras e ajudou nas letras de “Phoenix Rising”. Com Mario Pastore no vocal, o novo CD do Pastore teve a contribuição de vários músicos como: Márcio Eidt (guitarra), Ricardo Baptista (guitarra), Johnny Moraes (guitarra), Marcelo de Paiva (bateria), Vito Montanaro (bateria), Rafael Dyszy (bateria), Fabio Carito (baixo), Renato Caetano (baixo), além da participação especial do guitarrista Edu Ardanuy no cover de “Lightning Strikes Again” (Dokken).

“Gostaria de agradecer imensamente a todos os grandes músicos e amigos que fizeram parte deste novo álbum do Pastore. Sem vocês este trabalho não teria saído, principalmente a incansável ajuda do meu irmão Márcio Eidt na produção. Sou eternamente grato pela ajuda de todos. Este trabalho é um marco na minha carreira e fico feliz com o apoio eterno de meus fãs e amigos”, disse Mario Pastore.

Pastore – Phoenix Rising

Tracklist:

01 – Phoenix Rising
02 – Damn Proud
03 – Symphony Of Fear
04 – March Of War
05 – No More Lies
06 – Salvation Paradise
07 – I Need More
08 – Holy War
09 – Time Goes By
10 – Get Outta My Way
11 – Fire And Ice

12 – Lightning Strikes Again (Dokken Cover) (Bonus Track Japan) 

Link relacionado:

https://www.facebook.com/PastoreOficial

Apple Sin – “Apple Sin”(2017)

Essa é uma banda que vou querer acompanhar e espero que evolua a cada novo trabalho, pois há muito potencial aqui. Quem curte o metal de linhas tradicionais e que nos remete principalmente ás bandas da NWOBHM deve dar uma conferida no trabalho de estréia dessa galera da cidade de Barroso/MG.

A estréia da banda Apple Sin se dá por um trabalho cheio de potencial e que foi muito bem elogiado pela mídia especializada. No total são 10 faixas, com alguns grandes momentos como nas músicas “Apple Sin” (puro anos 80) e “Another Day”, onde a alma do Metal tradicional transborda, seja pela energia contida nos riffs, pelo contrabaixo pulsante e de linhas bem elaboradas que fazem uma ótima dinâmica com a bateria ou pelos vocais que mostram sua inspiração sem emular Bruce Dickinson.

Essas duas faixas mostram a paixão da banda pelo Metal, juntamente com a bônus track “Roadie Metal”, hino que homenageia um dos maiores veículos de comunicação da cena nacional.

Apesar das referências musicais estampadas de forma bem nítida é perceptível que a banda ainda está buscando definir seu som. Temos uma produção bem orgânica e simples que ressalta os timbres crus das guitarras, mas que na contramão nos carece de um peso extra na bateria, algo que traria um impacto maior nas músicas.

A notável influencia do Iron Maiden sobre o grupo confere aquele toque de reverência aos mestres, mas é uma característica que impregna alguns momentos do álbum de maneira bastante forte, principalmente nas linhas vocais mais agudas de Patric Belchior. Este por sua vez, mostra que possui variações de timbre que merecem ser exploradas de forma melhor e faz isso de maneira bem equilibrada na excelente trinca “Fire Star” (mesmo soando como um petardo perdido do Iron Maiden), “Black Hole” e “Roaches Blood”.

Nessas três faixas a banda mantém um pé no tradicional ao mesmo tempo em que adiciona uma pegada mais Thrash e moderna em seus arranjos, nos mostrando um direcionamento que poderia ser tomado como foco em seu próximo álbum.

Todos os músicos são excelentes, mas uma característica marcante é o trabalho de guitarra da dupla Beto Carlos e Tainan Vilela que entre tantos riffs poderosos e solos grandiosos, merecem um destaque maior na faixa “Sea of Sorrow”, que possui um solo amparado pelas harmonias de teclado conseguindo criar uma atmosfera memorável.

Os dois pontos baixos do álbum são a breve instrumental que inicia o disco (numa tentativa de criar uma atmosfera serena a ser quebrada pelos riffs iniciais de “Sea of Sorrow”) e “Respect”, uma balada que soa meio deslocada do álbum, mas ressalta que o vocalista possui outros timbres e variações vocais que merecem ser exploradas.

Esse é mais um trabalho do nosso underground que vale a pena ser conferido!

    Faixas : 
01. Intro
02. Sea Of Sorrow
03. Darkness And World
04. Apple Sin
05. Another Day
06. Respect
07. Fire Star
08. Black Hole
09. Roaches Blood
10. Roadie Metal (bonus-track)

Membros:
Patric Belchior – vocais
Beto Carlos – guitarras
Tainan Vilela – guitarras
Raul Ganso – baixo
Eduardo Rodruigues – bateria
Phillipe Belchior – teclados (adicional)

 

Lançada a Coletânea Rock Soldiers vol. 22

A cena underground nacional possui diversos apoiadores, várias pessoas importantes que seguem contribuindo sempre para o fortalecimento e difusão da mesma.

Uma dessas pessoas é o grande Marivan Ugoski (UGK Discos), idealizador da Coletânea Rock Soldiers.
Chegando à sua 22° edição, a Coletânea Rock Soldiers já é sucesso garantido e segue apresentando diversas bandas do cenário underground, passando por vários estilos, indo do Punk, Hardcore, até o Death, Thrash e Grindcore.

AS BANDAS PARTICIPANTES: 

CD 01


A Rua (GO)


Agorah (TO)


Amorfo (SP)

Animal Core (MG)

Ato Abusivo (PA)

Bloodshed (MG)

Coccyx (MG)

Dependência Pulmonar (DF)

Fim do Mundo (DF)

Fire Angel (AC)
 
 


CD 02:

Paa Tal (RS)


Prostibulus (GO)

Rastilho (RS)

Sagrado Inferno (MG)

Silence Means Death (ES)

Soulchamber (MG)

Soul Torment (RS)

Tessalonica (SP)

Torrencial (SP)

Toxic Carnage (SP)
 

Informações: https://m.facebook.com/cdsrocksoldiers/

Fatal Scream – “From Silence to Chaos” (2016)

Da cidade de Ribeirão Preto/SP, a banda Fatal Scream lança seu debut, “From Silence to Chaos”.

Sendo uma banda relativamente nova, idealizada em 2012, e que está lançando seu primeiro trabalho com tamanha qualidade, a banda inicia sua carreira chegando com os dois pés na porta.

Sua sonoridade é uma mistura bem dosada de estilos como o Thrash, Power e o Heavy Metal, o que resulta em um trabalho com peso, técnica e dinâmica na dose certa.

Os riffs encorpados e a cozinha densa destacam essas características, acompanhados pelas fortes melodias do poderoso vocal de Carol Lima, grande destaque desse álbum.

Faixas como “Killer Wolf”, com seu peso e refrão pegajoso, “Before The Judgement”, a qual soa como um clássico atemporal e “Betrayer”, agressiva e cheia de groove mostram que a banda caminha com bastante segurança dentro dos estilos citados.

Outro ponto forte nesse trabalho é a produção sonora. O trabalho feito por Rômulo Felício, no Under Studio, possui clareza e naturalidade entre o equilíbrio de cada timbre sem perder o peso e a agressividade sonora da banda.

O único ponto fraco, mas não menos importante, é o material gráfico.

A capa está interessante, mas no interior do encarte as letras estão espremidas, algumas legíveis e outras de difícil visualização.

Numa era onde o download gratuito reina, acho que as bandas (principalmente da cena underground) deveriam investir um pouco mais na qualidade de seu produto final, não desmerecendo a parte gráfica e tornando a, assim, um atrativo a mais.

Carol Lima (Vocal)

Diego Aricó (Guitarra)

Rodrigo Hurtiga Trujillo (Baixo)

Carlos Lourenço (Bateria)

José Roberto Cardoso (Guitarra)

Peso e experimentos no aguardado “Into the Mess”, novo álbum do Red Mess

Abraxas lança “Into the Mess” e escala trio de Londrina para excursionar com o Stoned Jesus em agosto

O Red Mess apresenta entrosamento e amadurecimento nas nove músicas de “Into the Mess”, álbum que o selo da Abraxas lança nesta sexta-feira nas principais plataformas de streaming.

A massa sonora de grooves e riffs servem ao ouvinte uma viagem lisérgica com categoria, o que o próprio trio paranaense chama de “fritação quântica”. Ouça e comprove: https://onerpm.lnk.to/IntoTheMess.

“Into the Mess” é uma onda de impactos, com uma visceral arte gráfica na capa do disco e composições que incremental o usual stoner rock progressivo com técnica apurada. Invés de malabarismo com os instrumentos, eles detonam no feeling, com peso em pitadas moderadas entre quebradeiras e experimentos.

“O resultado acabou sendo essa mistura bagunçada de stoner rock progressivo altamente apimentado. A ideia de composição desses sons sempre foi a de colocar nas músicas o que vem à cabeça. Trazer a ideia dos três, influências e mandar bala”, conta o baterista Douglas Labigalini. Completam a banda Thiago Franzim (guitarra e voz), Lucas Klepa (baixo e voz).

Assim como o single “Over the Mountain”, lançado pela Abraxas em junho, as outras canções de “Into the Mess” têm o lastro de qualidade da produção no Infrasound Records, em Florianópolis, sob os cuidados do competente duo Munõz.

O esforço agora é para também lançar “Into the Mess” fisicamente, em CD. Enquanto isso, o Red Mess se prepara para embarcar como banda convidada pela Abraxas na turnê brasileira dos ucranianos do Stoned Jesus.

São quatro datas em conjunto: Rio de Janeiro (17/08), Belo Horizonte (18/08), São Paulo (19/08) e em Goiânia, dia 20, dentro do importante festival de música alternativa do Brasil, o 23º Goiânia Noise Festival.

Erick Tedesco

Assessoria de Imprensa Abraxas Produtora

(19) 99616 2999 (cel e whatsapp)

facebook.com/abraxasevents

facebook.com/tedesco.midia

http://abraxas.fm